Ganhar mais como o Tesouro Direto

Ganhar mais com o Tesouro Direto é possível. No entanto, o contrário também pode ocorrer. Mesmo sendo um investimento seguro de renda fixa o Tesouro Direto possui variáveis de rendimento.

Tesouro Direto é o investimento através da aquisição de títulos públicos garantido pelo FGC ; Ou seja seu risco de crédito é pequeno. O risco é o do governo quebrar. Num país como o Brasil eles tem oferecido retorno interessante. Por conta das constantes elevações de taxa Selic ao longo do tempo. Mas ele também pode ser o pior investimento se você não souber como ele funciona.

A remuneração é o que diferencia um título de outro. Existem títulos pós fixados, que são corrigidos por um indexador. Como por exemplo a taxa Selic. Outros são prefixados, ganham uma taxa de juros definida na aplicação. Há ainda os títulos híbridos que remuneram de forma pré e pós-fixada.

Ganhar mais com o Tesouro Direto é possível através dos títulos pós e prefixados. No entanto, você também poderá ganhar menos com este títulos.

O Tesouro Direto pode gerar prejuízo

O Tesouro Direto possui quatro títulos com taxas prefixadas à venda atualmente. Dois  são puramente prefixados: o Tesouro Prefixado (LTN) e o Tesouro Prefixado com Juros Semestrais (NTN-F)Os dois pagam ao investidor uma taxa de juro que é definida na hora da compra. No entanto, enquanto o primeiro acumula os rendimentos para o vencimento, o segundo paga juros semestrais.

O título conhecido como Tesouro IPCA+ é um título híbrido, é como se pegasse um pedacinho do Tesouro Prefixado, a parte equivalente ao juro real, e adicionasse o IPCA. Muitos investidores, porém, acham que o título só acompanha a inflação e se esquecem da taxa prefixada, que torna o título muito mais arriscado.

Ambos títulos são pré e pós-fixados: o Tesouro IPCA+ (NTN-B Principal) e o Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais (NTN-B). Pagam ao investidor uma taxa de juro definida na compra, mais a variação do IPCA durante o período do investimento.Com a diferença de que no primeiro título os juros são acumulados para o vencimento e no segundo são distribuídos a cada seis meses.

Rentabilidade deve ser considerada

A rentabilidade informada no momento da compra dos quatro títulos é garantida se o investidor ficar com eles até o seu vencimento. Ocorre que eles podem gerar prejuízos se forem vendidos antes do prazo porque sofrem o efeito da chamada marcação a mercado.

Por exemplo: se aplicar no Tesouro Prefixado, o valor resgatado no vencimento será sempre de 1.000 reais. Esse é o chamado valor de face do título. O que muda é o preço que você paga pelo título hoje, como reflexo da taxa de juros definida na hora da compra.

Dependendo do preço que o investidor paga, a taxa pode ser maior ou menor para que o título chegue aos 1.000 reais no final do prazo. Se forem pagos 700 reais pelo título, a taxa de juro terá de ser maior do que se fossem pagos 800 reais, porque em ambos os casos a taxa prefixada deve corrigir o preço do título de forma ele chegue a 1.000 reais no vencimento.

Como o recebimento no futuro é fixo (sempre 1.000 reais), quanto mais barato é o valor no momento da compra, maior será o ganho do investidor. Por outro lado, quanto maior o valor pago no momento da compra, menor será o ganho.

Para  alinhar a remuneração do título com a expectativa da taxa Selic, usada como referência para o retorno oferecido por diversos investimentos de renda fixa no mercado. As taxas dos títulos sofrem alterações.

Caso um investidor compre um título com uma taxa de 12% ao ano e queira vender esse título antes do vencimento, porque existem novos títulos no mercado que pagam 14% ao ano. Ele só conseguirá vender seu título com desconto. E assim esta realizado o prejuízo, caso o título seja vendido antes do prazo.

O Tesouro IPCA+ também tem um valor de face de 1.000 reais, mas seu funcionamento é um pouco diferente. O valor nominal tem sido atualizado pelo IPCA desde a data-base do título (15/07/2000). Assim, ele também sofre o efeito da marcação a mercado, mas não é possível saber com precisão quanto ele valerá no vencimento pois isso depende da variação do IPCA.

Os preços dos títulos são modificados diariamente de acordo com as mudanças nas expectativas da taxa de juros. Essa precificação diária dos títulos é que é chamada de marcação a mercado.

Usando uma explicação simplista, é possível dizer que os juros futuros sobem diante de crises políticas porque os juros básicos são como um termômetro do risco do país. Quando a confusão se instaura, o risco do país aumenta e a taxa sobe. Para deixar mais claro, basta dizer que a taxa básica de juro dos Estados Unidos é próxima a zero, enquanto os juros no Brasil estão em acima dos dois dígitos ao ano.

Como surfar na alta ou baixa dos juros

Mesmo os títulos prefixados sendo uma opção para aproveitar a alta dos juros, como eles oscilam bastante, esse não é o melhor investimento para alguém que não tem certeza absoluta de que não precisará resgatar seu título antes do vencimento.

Mas é possível aproveitar a alta dos juros com outro título, o Tesouro Selic, que não apresenta risco de prejuízos caso seja vendido antes do vencimento.

Como o Tesouro Selic acompanha a variação diária da taxa Selic, se o investidor quiser vendê-lo antes do vencimento, afinal todos os Tesouros Selics pagam a variação da taxa básica.

 Já em caso de alta dos juros os títulos prefixados podem se mostrar desvantajosos em relação a novos títulos à venda no mercado.

O título prefixado pode ser interessante para o investidor que acredita que os juros chegaram ao topo. Afinal, se a Selic passar a cair dali pra frente, seu título terá uma taxa extremamente vantajosa. Se o título for comprado e a taxa de juro cair ele terá um ótimo rendimento, mas se a taxa ainda subir ele pode ter prejuízo.