Delações Da Semana Prometem Condenação de Lula em Primeira Instância

0
Delações Da Semana Prometem Condenação de Lula em Primeira Instância
Prisão de Lula é questão de tempo para PF

Prisão de Lula cada vez mais Próxima

 A promessa é que após as delações desta semana o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva já seja condenado em primeira instância. Segundo Marcelo Odebrecht, Lula chegou a registrar um saldo de R$ 40 milhões de reais em sua conta-propina, administrada pelo ex-ministro Antonio Palocci. Desse total, Lula sacou, no mínimo, 30 milhões de reais. Em dinheiro vivo, conforme antecipou ISTOÉ com exclusividade em reportagem de capa de novembro de 2016.

Nos bastidores da Lava Jato, a condenação de Lula em primeira instância é tida como questão de tempo. Na próxima quinta-feira 20, em depoimento ao juiz Sergio Moro. O ex-sócio da OAS, Leo Pinheiro, irá confirmar definitivamente o processo do tríplex, no Guarujá. No qual Lula é réu por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e ocultação de patrimônio. O empreiteiro confirmará que o imóvel foi, sim, um regalo ao petista em troca de benefícios fraqueados por Lula à construtora.

Nem todas as ações penais dependem de Moro. Além de responder pelo apartamento de três decks, Lula é réu em mais quatro processos: por obstrução de Justiça, por tráfico de influência e corrupção passiva, acusado de usar sua influência em órgãos do governo e no BNDES para beneficiar a empreiteira Odebrecht em contratos de obras em Angola, organização criminosa, por integrar um esquema de venda de vantagens no governo em benefícios de empresas, e por lavagem de dinheiro, pelo fato de ter recebido propina da empreiteira Odebrecht na forma da compra de um terreno (avaliado em 12,5 milhões de reais) para a construção do Instituto Lula. Diante das revelações dos delatores, não há muita escapatória.

Embora a defesa do ex-presidente continue tentando negar o inegável. Após a próxima quinta as  frases “A corrupção deveria ser considerada crime hediondo. E, quem saqueia o Estado, merece ir direto para a cadeia”. Frases usadas pelo ex-presidente Lula, em entrevista concedida a um jornal operário na década de 80. Poderão se configurar verdadeiras. No momento cada vez mais próximo, em que o autor das frases for preso.